O Ibovespa subiu 0,98% no mês de abril, que foi marcado pela difícil aprovação da Reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e por recuo no veto ao aumento do preço do diesel pela Petrobras.

No mesmo período, o dólar subiu 0,2%, tendo encostado nos R$ 4,00 no dia 24 de abril com investidores receosos em se posicionar na ponta comprada da Bolsa sem um hedge.

Na última terça-feira 30/04, o principal índice de ações da B3 subiu 0,17% a 96.353 pontos com volume negociado de R$ 13,214 bilhões, puxado pelas ações de bancos, que compensaram o desempenho fraco dos papéis de empresas ligadas a commodities.

Na mesma data, o mercado doméstico acompanhou o desempenho do exterior. Pela manhã, as bolsas americanas recuaram em consequência a notícia de que aquele país pode manter algumas tarifas para forçar um acordo comercial com a China. Mas no fim da tarde os índices S&P 500 e Dow Jones se recuperaram e bateram recordes históricos de olho na reunião de política monetária do Federal Reserve no dia posterior.

Seguindo em caminho oposto ao mercado em abril, o Fundo de Investimentos em Ações Amaril Franklin obteve 1,63% de variação negativa no período, em função de sua grande concentração em papéis de Petrobras PN (PETR4).