Investing.com Brasil – 21/10/2019 – 8:43

A sessão que abre a semana foi marcada por leve valorização nos contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian.

O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento em janeiro do próximo ano, encerrou com ganhos de 0,41%, a 611,50 yuans por tonelada, em relação ao valor de liquidação de sexta-feira, que foi de 609,00 yuans /t. Assim, a variação diária foi de 2,50 yuans .

Em sentido oposto, a segunda-feira teve recuo nas principais cotações dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China. O contrato mais líquido, de janeiro de 2020, perdeu 3 yuans a 3.290 yuans por tonelada, enquanto o de maio, segundo mais negociado, cedeu 6 yuans para 3.174 yuans /t.

Os mercados de ações da Ásia fecharam a segunda-feira com valorização na espera que a China e os Estados Unidos possam assinar um acordo comercial e que Pequim continue com seu apoio político à economia.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na sexta-feira que achava que um acordo comercial entre os Estados Unidos e a China seria assinado quando as reuniões de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico ocorrerem no Chile, nos dias 16 e 17 de novembro.

O vice-primeiro-ministro chinês Liu He disse no sábado que a China trabalharia com os Estados Unidos para resolver as principais os impasses com base na igualdade e no respeito mútuo, e que interromper a guerra comercial seria bom para os dois lados e para o mundo.

Os dados divulgados na sexta-feira mostraram que o crescimento do PIB da China desacelerou para quase 30 anos, reforçando as esperanças de Pequim de lançar novo apoio.

O planejador estatal, em setembro, mais do que dobrou sua aprovação para projetos de investimento em ativos fixos, já que Pequim procura intensificar o apoio à economia.

Na segunda-feira, a China inesperadamente manteve inalterada sua nova taxa de empréstimos de referência, apesar de analistas argumentarem que a decisão não aponta para o fim do ajuste de baixa na taxa de juros de empréstimo (LPR).

No geral, a economia da China nos três primeiros trimestres permaneceu relativamente estável, mostrando forte resiliência, e haveria um impacto positivo das negociações comerciais sino-americanas se elas se empenhassem em resolver o problema, observou a Guosen Securities em um relatório.