Contrato na bolsa Dalian, para entrega em maio, encerrou a sessão com alta de apenas 0,1%, em US$ 92,05 por tonelada, após ter caído até 3,2%.

Por Reuters

22/02/2019

Os contratos futuros do minério de ferro negociados na China registraram alta na volatilidade nesta sexta-feira, mas ao final tiveram sua primeira perda semanal neste ano, já que a demanda pela matéria-prima do aço permaneceu fraca, apesar das preocupações com a oferta.

O contrato de minério de ferro mais ativo da bolsa Dalian, para entrega em maio, encerrou a sessão com alta de apenas 0,1%, para 618,5 iuanes (US$ 92,05) por tonelada, após ter caído até 3,2%. Na semana, a queda foi de 3%.

“As usinas siderúrgicas chinesas pareceram relutantes em reabastecer apesar de problemas na oferta do Brasil”, disse a ANZ Research.

Oferta da Vale

O minério de ferro de Dalian já subiu mais de 3% este mês e atingiu um recorde de 657,5 iuanes na semana passada, em meio a preocupações com as interrupções na oferta após o colapso da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho (MG).

Em outra má notícia para a Vale, o regulador de mineração do Brasil ordenou nesta semana que a mineradora suspenda a atividade em seus complexos de Fábrica e Vargem Grande.

A Vale não ofereceu uma estimativa da produção que seria perdida com a suspensão.

Permanece incerto se mineradoras poderão produzir e exportar mais minério de ferro para compensar o que for perdido da oferta da Vale.

“Grandes produtores, incluindo a BHP e a Fortescue, indicaram que são incapazes de aumentar as exportações significativamente para cobrir as perdas do Brasil”, disse a ANZ.