Investing.com Brasil – 16/10/2019

A jornada desta quarta-feira foi marcada, mais uma vez, por desvalorização para os contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa da Dalian. O ativo com o maior volume de negócios, com data de vencimento em janeiro de 2020, cedeu 3,22%, fechando a 617,00 iuanes por tonelada, tendo como base o valor de liquidação da véspera, que foi de 637,50 iuanes.

Na mesma direção, o dia também foi negativo para as cotações dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também na China. Assim, o contrato mais líquido, de janeiro de 2020, perdeu 48 iuanes para 3.291 iuanes por tonelada. Já o segundo em volume, com entrega em maio, caiu 16 iuanes para 3.105 iuanes por tonelada.

Os índices acionários da China recuaram nesta quarta-feira, uma vez que o otimismo em torno de um acordo comercial concreto com os Estados Unidos perdeu força, com o apetite por risco também contido por novos sinais domésticos de fraqueza econômica.

O mercado devolveu a maior parte dos ganhos de mais de 1% de segunda-feira, provocados por uma trégua entre China e EUA depois que ambos os lados concordaram em trabalhar em um acordo limitado.

Mas a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou na terça-feira quatro atos legislativos, adotando uma postura dura contra a China devido ao movimento pró-democracia em Hong Kong e a disputa legal em torno da gigante de telecomunicações Huawei.

“Algumas novas incertezas no fronte comercial assim como preocupações em relação a resultados corporativos colocaram pressão sobre o mercado hoje”, disse Gerry Alfonso, analista do Shenwan Hongyuan Securities.