Visões para a economia seguem piorando diante dos efeitos negativos da pandemia de coronavírus

Por Ricardo Bomfim

20/04/2020

SÃO PAULO – Os economistas do mercado financeiro projetam que o Brasil tenha uma recessão da ordem de 2,96% em 2020, mostrou o Relatório Focus do Banco Central nesta segunda-feira (20). O dado é bem mais negativo que o da semana passada, quando a mediana das previsões dos especialistas era de uma retração de 1,96%.

Para 2021, contudo, a projeção foi elevada de 2,7% na semana anterior para 3,1% agora.

A expectativa para a taxa básica de juros ao fim de 2020 foi reduzida de 3,25% para 3% ao ano. Para o ano que vem, a projeção foi mantida em 4,5% após três semanas consecutivas de revisões para baixo.

Em meio a medidas de isolamento social visando minimizar a disseminação do coronavírus, as expectativas para inflação e crescimento da economia do país também foram novamente reduzidas. Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a projeção de alta foi cortada pela sexta vez consecutiva, de 2,52% para 2,23%, em 2020, e cortada também de 3,5% para 3,4% em 2021.

No que tange às previsões para o mercado cambial, o relatório Focus revelou que a estimativa para o dólar teve alta de R$ 4,60 para R$ 4,80, em 2020, e um aumento de R$ 4,47 para R$ 4,50, ao fim de 2021.

Top 5

Entre os economistas que mais acertam as previsões, reunidos na categoria “Top 5” do relatório Focus, as estimativas para a Selic e inflação também foram alteradas.

Agora, o grupo “Top 5 médio prazo” projeta a Selic encerrando 2020 em 2,5% ao ano, ante estimativa anterior de 2,75%, enquanto a estimativa para 2021 caiu de 4,00% para 3,88%.

Já para a inflação medida pelo IPCA, as expectativas são de alta de 1,56% do IPCA em 2020, ante 2,62% anteriormente, e de 3,1% para 2021, ante projeção passada de 3,45%.

Houve ainda queda na previsão para o dólar em 2020, de R$ 5,10 para R$ 5,08, com a moeda encerrando 2021 em R$ 5,20, estável em relação à semana anterior.

Conheça os nossos produtos!